fbpx

Você é doador de Medula Óssea? Sabia como se tornar

16 de setembro

A medula óssea é um tecido líquido-gelatinoso presente na parte oca dos ossos. É um tecido rico em células troncos responsáveis por fabricar os componentes do sangue, como os glóbulos brancos, glóbulos vermelhos e plaquetas.  Algumas doenças que afetam a medula óssea e podem ser tratados por meio do Transplante de Medula Óssea quando outros tratamentos não são suficientes.

Transplante de Medula Óssea
O transplante de medula óssea é um procedimento no qual a medula de uma pessoa saudável é transplantada a uma pessoa com a medula doente.
Algumas doenças que afetam o sangue ou o sistema linfático tem origem em distúrbios na medula óssea e podem ser tratadas por meio do transplante de medula óssea. É o caso dos linfomas, das leucemias, mieloma múltiplo e mielodisplasia, além de algumas doenças autoimunes e alguns tipos de anemia.  
Para que haja o transplante, é preciso que haja compatibilidade, ao menos parcial, entre doador e receptor. Primeiramente é buscado um doador compatível na própria família do paciente que, por questões genéticas, tem mais probabilidade de ser encontrado.  
Quando não há um doador compatível na família, os médicos então buscam um doador compatível em um banco de dados nacional de doadores voluntários chamado Redome. Hoje no Brasil, há cerca de 5 milhões de doadores cadastrados no Redome.  

Como doar?
Para se tornar um doador de medula, é preciso cadastrar-se nesse banco de dados. O processo é simples. Basta procurar um hemocentro vinculado ao Redome. Lá, uma pequena amostra do sangue é coletada para detectar os fatores que determinam a compatibilidade.
A partir do cadastro, é possível identificar um paciente que necessite de transplante. Apenas quando isso acontecer, o doador é chamado para realizar a doação de fato. É possível que leve anos até que surja um paciente compatível com o doador cadastrado ou até mesmo que isso nunca aconteça. Ainda assim, é importante que o maior número possível de pessoas seja cadastrado para aumentar a probabilidade de um paciente que precise encontre um doador.  

Doação
Existem duas maneiras de realizar a doação. O método mais moderno se chama aférese. Cinco dias antes da doação, o doador toma um medicamento que aumenta a quantidade de células-tronco no sangue. No dia da doação o sangue do paciente é então coletado e filtrado. Apenas as células tronco são recolhidas. O restante do sangue à veia do paciente. Após o procedimento, o doador pode retornar a sua rotina normalmente.
O método mais tradicional é realizado em centro cirúrgico e sob anestesia. É realizada uma punção no osso da bacia, de onde se retira uma parte da medula óssea do doador por meio de seringas. Nesse método, o doador precisa de internação de 24h. Atualmente, apenas cerco 5% das coletas são feitas por esse método.  

Critérios
Para se tornar um doador de medula óssea é necessário:
– Ter entre 18 e 35 anos de idade.
– Estar em bom estado geral de saúde.
– Não ter doença infecciosa ou incapacitante.
– Não apresentar câncer, doenças do sangue ou do sistema imunológico.

Cadastre-se
Consulte aqui o hemocentro mais próximo para realizar o seu cadastro. Doe! Esse é um gesto simples, que pode ajudar a salvar uma vida. 

© 2022 São Camilo Oncologia | RT: Dra. Aline Thomaz Soares CRM: 126796