fbpx

Ambientes de acolhimento para o paciente em cuidados paliativos

2 de dezembro

Saber sobre uma doença grave é sempre um momento difícil e de apreensão para o paciente, seus familiares e amigos.

É esperado que o paciente se assuste ao ouvir de seu médico a indicação para que a partir daquele momento ele seja acompanhado pela equipe de Cuidados Paliativos, pois geralmente vem acompanhada do pensamento de que “não há mais o que fazer”. No entanto, neste momento é importante entender que Cuidados Paliativos não é sobre o fim, e sim sobre ‘como viver diante do diagnóstico dessa doença grave e incurável’.

De acordo com a Dra. Lívia Nery, geriatra da Rede de Hospitais São Camilo de São Paulo, “o objetivo dos Cuidados Paliativos, é centrar o tratamento na qualidade de vida, melhorando as condições do paciente em todos os aspectos, para garantir que ele tenha maior conforto e bem-estar ao atravessar o momento entre a descoberta do diagnóstico e a convivência com a doença, de forma que seja promovido o alívio do sofrimento físico, psicológico e espiritual, para aumentar a sobrevida desse paciente, respeitando sempre seus valores e escolhas“.

Para oferecer esse cuidado ao paciente em cuidados paliativos é de fundamental importância o trabalho da equipe multiprofissional, composta por profissionais como médicos, dentistas, enfermeiros, nutricionistas, fisioterapeutas, terapeutas ocupacionais, educadores físicos, psicólogos, assistente social e fonoaudiólogos, que trabalham em conjunto para planejar e estruturar um plano de atendimento humanizado e individualizado para cada paciente, de forma que possam fortalecê-los, aliviar problemas existentes, prevenir novos problemas e, tanto ao paciente quanto seus familiares, receberem orientações para enfrentarem o dia a dia durante e após o diagnóstico da doença.

O paciente em cuidados paliativos pode ser acolhido em diferentes ambientes, sendo em sua residência ou a de um familiar, hospitais ou instituições de longa permanência.

Se você está passando por esse processo ou possui algum familiar com a indicação de ser acompanhado pela equipe de Cuidados Paliativos, você sabe dizer qual a diferença entre essas formas de cuidado e qual o melhor indicado?

Atenção Domiciliar

Quando o paciente recebe atendimentos de uma equipe multiprofissional em sua residência, por exemplo: fisioterapia domiciliar, fonoaudiologia domiciliar.

Home Care

Considerado uma internação domiciliar e de acordo com o grau de complexidade de cada paciente é definido o acompanhamento por 6 horas, 12 horas ou 24 horas.

Instituição de Longa Pernanência

A Unidade Granja Viana da Rede de Hospitais São Camilo SP é modelo de instituição para pacientes em cuidados paliativos, onde é oferecido o cuidado de longa permanência. A internação pode ser indicada por dificuldades em cuidar do paciente em domicílio ou para melhora da qualidade de vida e controle dos sintomas.

Na Unidade os pacientes recebem cuidados da equipe multiprofissional 24 horas por dia, além do acompanhamento médico e de atividades como: reabilitação motora e respiratória, terapia ocupacional (atividades manuais, artes, jogos), cuidados especializados em feridas, suporte nutricional, suporte psicológico, musicoterapia, em um ambiente acolhedor com área verde para que o paciente possa sair do quarto e conviver com a natureza.


Unidade Granja Viana

Especializada em Reabilitação e Cuidados Paliativos com planos e serviços personalizados (convênio ou particular), possui enfermeiros 24 horas por dia e um ambiente totalmente adaptado, seguro e confortável, com equipe especializada sempre disponível para acolher as necessidades dos pacientes.

Faça um tour pela unidade, clique aqui.

Agende uma visita
Tel. (11) 4617-6966
Av. São Camilo, 1.363 – Granja Viana – Cotia, SP.

© 2023 São Camilo Oncologia | RT: Dra. Aline Thomaz Soares CRM: 126796